EFELisboa

O Governo de Portugal avançou hoje à patronal e aos sindicatos que pretende subir o salário mínimo a partir do próximo ano 2020 até aos 635 euros brutos, frente aos 600 euros atuais.

A proposta foi entregue hoje aos representantes sociais de Portugal pela nova ministra de Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que, junto ao resto do Executivo português, tomou posse no passado mês de outubro, depois da vitória do Partido Socialista de António Costa nas eleições legislativas de 6 de outubro.

A maioria dos representantes patronais comentaram depois da reunião que o seu objetivo é que o salário mínimo seja de 625 euros, isto é, menos 10 euros que o anunciado pelo Governo.

O sindicato UGT aprovou a quantia dos 635 euros do Executivo, enquanto o sindicato CGTP propôs um salário mínimo de 690 euros a partir de 1 de janeiro de 2020.

Na tomada de posse do novo Governo, realizada a 26 de outubro passado, o primeiro-ministro António Costa avançou que em 2023 (no último ano da legislatura) o salário mínimo ficaria fixado em 750 euros brutos.