EFELisboa

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) decidiu esta quinta-feira suspender as missas em todo o país devido ao avanço da pandemia, apesar do modelo de confinamento em vigor permita as cerimónias religiosas.

Em comunicado, a CEP determinou a suspensão das missas com público a partir deste sábado, assim como da catequese e de todas as atividades pastorais "que impliquem contacto", e encoraja que sejam substituídas por cerimónias transmitidas por meios digitais.

Esta suspensão junta-se à que já tinha sido decretada há uma semana para as celebrações de casamentos, batizados e crismas no âmbito do novo confinamento decretado pelo Governo português.

Embora o decreto governamental permite que sejam celebradas cerimónias religiosas desde que se cumpram certas medidas sanitárias, a Igreja Católica decidiu suspendê-las face à "extrema gravidade da situação pandémica".

Continuam apenas os funerais, que devem também seguir uma série de recomendações sanitárias.

Quando a pandemia de coronavírus chegou a Portugal em março de 2020, a CEP decidiu também suspender todas as missas antes mesmo do Governo avançar com o confinamento.

Portugal está no meio de uma duríssima terceira vaga de coronavírus, encadeando números recorde diariamente, algo que lhe tornou esta quarta-feira no país do mundo com um maior número de novos contágios por um milhão de habitantes, segundo a média dos últimos sete dias recolhida pela Universidade de Oxford.

O país acumula desde março 581.605 casos e 9.465 falecidos.