EFELisboa

Portugal continua a combater o incêndio florestal que desde o sábado atinge o Parque Transfronteiriço Gerês-Xurés, onde a orografia escarpada dificulta o trabalho dos bombeiros, um dia depois de que um piloto morresse após a queda do seu avião.

O combate está a ser feito com equipas apeadas, informou a Protecção Civil à EFE, que indicou que durante a manhã não foi possível utilizar meios aéreos devido à nebulosidade.

Com a melhoria das condições meteorológicas, uma aeronave de combate chegou ao teatro de operações e outra estaba a caminho, juntando-se a outra de reconhecimento e monitorização.

Mais de 150 bombeiros e 46 veículos terrestres também trabalham no local.