EFELisboa

Lisboa será um dos quatro concelhos portugueses que no próximo dia 14 de junho não vai passar à fase seguinte de desconfinamento, tendo em conta o aumento de casos no último mês

Segundo informou a Ministra de Estado e da Presidência Portuguesa, Mariana Vieira da Silva, após o Conselho de Ministros, os outros três conselhos que não passarão à fase seguinte a partir de segunda-feira são Braga (norte), Odemira (sul) e Vale de Cambra (norte).

Assim, tanto em Lisboa como nos outros três conselhos, o teletrabalho continuará a ser obrigatório e os estabelecimentos de restauração terão de fechar o mais tardar às 22h30, enquanto que o comércio em geral fechará às 21h00 diariamente e às 19h00 nos fins-de-semana e feriados.

As autoridades portuguesas estão preocupadas com a situação em toda a região de Lisboa e Vale do Tejo (da qual o conselho de Lisboa faz parte), que no último mês representou mais de metade dos casos diários e que esta quarta registou 591 novos casos positivos (66,4%) do total de 890 em todo o país.

A Ministra da Presidência disse que estão a ter "dificuldades" para reduzir os casos na região de Lisboa e Vale do Tejo, uma situação que descreveu como "preocupante", pelo que continuarão a realizar testes em massa para reduzir a propagação do vírus.

Os restantes conselhos do país, um total de 274, passam à quinta fase de desconfinamento, o que lhes permitirá ter estabelecimentos de restauração abertos até à uma da manhã, tal como locais culturais, e o teletrabalho deixará de ser obrigatório.

Por seu lado, os estabelecimentos comerciais não terão restrições, exceto no que diz respeito aos regulamentos de abertura e encerramento de cada cidade.

Além disso, os transportes públicos poderão ter uma capacidade de dois terços ou preencher a sua capacidade total se todos os seus lugares forem assentos, e as instalações desportivas vão poder ter público para desportos amadores (não-profissionais) com um máximo de 33%.