EFELisboa

A cantora Madonna atacou o presidente dos EUA, Donald Trump, pela "guerra que inventou com o Irão" para distrair o seu país da sua destituição no Congresso, durante o segundo concerto que deu ontem à noite em Lisboa como parte da digressão "Madame X".

No Coliseu de Lisboa, Madonna também fez um apelo em defesa dos direitos do grupo LGBTI e dos imigrantes, e despediu-se, após duas horas e meia de música, com o grito "o povo ao poder".

No seu segundo concerto dos oito que vai dar em Lisboa até 23 de Janeiro, Madonna piscou os olhos à "sua segunda casa" com a interpretação de um fado.

O seu último trabalho é muito influenciado por Lisboa, onde viveu de 2017 a Setembro de 2019 depois de um dos seus filhos se ter inscrito numa das equipas de futebol de base do Benfica.

A digressão da cantora de 61 anos também a levará por Londres e Paris, entre outros lugares, e terminará no final de março.