EFELisboa

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, iniciou hoje com o partido de esquerda Livre a ronda de consultas necessárias para designar um primeiro-ministro, que salvo alguma surpresa será o socialista António Costa, vencedor das eleições.

Rebelo de Sousa abre assim uma frenética agenda para esta terça-feira, dia no qual se vai reunir com líderes dos dez partidos que conseguiram representação parlamentar nas eleições legislativas deste domingo.

O primeiro a chegar ao Palácio de Belém, sede da Presidência, foi o esquerdista Livre, que se estreia no Parlamento com uma deputada eleita, Joacine Katar Moreira.

O presidente irá receber depois outros dois novos partidos que conseguiram uma cadeira, Iniciativa Liberal e o Chega, de extrema-direita.

Posteriormente, e em ordem crescente de cadeiras, falará com representantes políticos dos outros sete partidos que já estiveram na passada legislatura no plenário, para concluir ao final da tarde com o Partido Socialista.

A ronda de consultas é um processo constitucional necessário para que o chefe de Estado encarregue Governo a um dos candidatos, assinalado então como primeiro-ministro, e que deverá ser confirmado pelo Parlamento numa votação que ainda carece de data, mas que deverá acontecer antes do fim de outubro.

Embora nada se tenha confirmado oficialmente, o próprio Rebelo de Sousa afirmou que a sua intenção, "se houver tempo", é designar hoje mesmo o socialista António Costa como primeiro-ministro, dada a sua incontestável vitória nas eleições, nas quais conseguiu 106 cadeiras, a 10 da maioria absoluta.

O chefe de Estado deixou claro que há uma "razão de urgência" para formar o Executivo o mais rápido possível, a proximidade da saída do Reino Unido da União Europeia ("brexit"), programada para 31 de outubro.

Na próxima semana haverá um Conselho Europeu para debater a questão e o presidente de Portugal quer que o novo Governo fale antes disso com os partidos do novo Parlamento luso para conhecer a sua postura ao respeito.

À espera que se concretize a designação de Costa nesta mesma noite, a imprensa portuguesa avança que o socialista pediu já reuniões para amanhã, quarta-feira, a todos os partidos de esquerda com representação no novo plenário, com a ideia de tecer alianças para um governo em minoria.

Nessa lista de reuniões estão o marxista Bloco de Esquerda e a coligação de comunistas e verdes, a CDU, parceiros parlamentares na passada legislatura, assim como o ambientalista PAN, que conseguiu nas eleições passar de um a quatro cadeiras, e o Livre.