EFELisboa

A Mostra Espanha, o certame bienal que leva a cultura espanhola a Portugal, quer ampliar a sua programação, que nesta edição tem uma duração de seis meses, para que no futuro possa durar todo o ano.

Esta intenção ficou plasmada durante a inauguração do evento realizada esta terça-feira no Mosteiro dos Jerónimos de Lisboa, onde tanto o ministro da Cultura de Espanha, José Guirao, como a sua homóloga lusa, Graça Fonseca, expressaram o seu desejo de que a Mostra possa ampliar a sua programação no futuro.

"Quando a Mostra Espanha começou eram seis dias, agora estamos já em seis meses. Gostaria que evoluísse e que fosse todo o ano", disse Guirao durante o seu discurso, no qual afirmou que o certame "contribui para assentar a semente de futuras colaborações para germinar talentos e artistas espanhóis e portugueses".

Esta sexta edição da Mostra é "mais multidisciplinar do que nunca", disse o ministro, que acrescentou quea Espanha e Portugal "são depositários de uma rica herança histórico-artística de raízes compartilhadas".

Por sua parte, a ministra da Cultura de Portugal assegurou que vão "obviamente" trabalhar "para que a Mostra seja todo um ano e não apenas seis meses" e destacou que ambos países "se têm mantido próximos com um diálogo entrecruzado que sempre superou as barreiras e os momentos políticos".

Durante o evento, Guirao e Fonseca entregaram também o Prémio Luso Espanhol de Arte e Cultura 2018 à fadista Mariza pelo seu trabalho a favor das relações dos dois países.

"É um prémio que recompensa o esforço por integrar as manifestações culturais de Portugal e Espanha", afirmou o ministro espanhol, enquanto a sua homóloga portuguesa ressaltou que, através da música, Mariza "supera as fronteiras físicas e de expressão".

A fadista, que mostrou o seu "orgulho enorme" pelo reconhecimento e disse estar "imensamente feliz" de que a sua música seja reconhecida tanto em Portugal como fora, fechou o ato com a interpretação de três canções, uma delas em espanhol.

A "Mostra Espanha" realiza-se este ano em 20 localidades portuguesas, que irão receber até dezembro diferentes expressões da cultura espanhola, como música, teatro, cinema, exposições e conferências.

Entre as atividades que fazem parte do programa destacam-se os concertos de Rozalén em Lisboa e no Porto no mês de setembro acompanhada pela intérprete de linguagem gestual Beatriz Romero.

Zurbarán, com o quadro "Frei Pedro Machado", e a exposição "De princípio ao fim", que propõe um percurso pela obra de Benjamín Palencia, são outros dos pratos fortes da oferta cultural da Mostra, que voltará a acolher o evento de cinema espanhol Cine Fiesta.

O Museu Nacional de Arqueologia da capital lusa vai receber a Pátera de Titulcia, uma peça de prata da proto-história da Península Ibérica encontrada em 2009 e que poderá ser vista pela primeira vez fora de Espanha.

O programa integra ainda um ciclo de cinema espanhol, teatro, conferências, exposições de fotografia, dança e uma evocação ao V centenário da primeira volta ao mundo iniciada por Fernão de Magalhães e concluída por Juan Sebastián Elcano.

A Mostra Espanha é organizada pelo Ministério da Cultura espanhol e conta com o apoio do Governo português.

Paula Fernández