EFELisboa

A onda de voos cancelados desde o fim de semana no Aeroporto de Lisboa continua, e para esta segunda-feira está previsto a supressão de uns 30, tanto nacionais como internacionais, aos quais se juntam outros seis no Porto.

A gestora aeroportuária ANA confirmou à Agência Efe que a previsão para hoje é de 29 voos cancelados (15 chegadas e 14 partidas).

As alterações afetam trajetos tanto nacionais como internacionais, com destino ou saída de cidades como Bruxelas, Amesterdão, Menorca, Lyon, Roma, Bilbau, Madrid ou Valência, e o cancelamento também afeta o aeroporto do Porto, onde esta segunda-feira existem seis voos cancelados, segundo o site da ANA.

A ANA indicou este fim de semana que esta crise é causada pelas "limitações" sofridas por "vários aeroportos internacionais" e, num comunicado difundido à imprensa, recomendou aos passageiros que contactem com as suas companhias aéreas antes de irem para o aeroporto.

Entre as companhias com voos cancelados estão a TAP, Easy Jet, Skyup, British Airways, Sas Scandinavian ou a Beijing Capital.

Fontes da TAP reconheceram hoje à Efe que muitos dos seus voos se viram afetados devido às "limitações em vários aeroportos" e que apesar desta situação e da "época alta de turismo" estão a fazer "todo o possível para minimizar o impacto".

Ainda assim, informaram que os passageiros afetados deverão esperar uma mensagem da companhia com um novo horário de voo.

Enquanto isso, centenas de viajantes têm criticado a falta de informação e meios na espera para conseguir um novo voo, e alguns deles denunciam estar a aguardar uma solução desde sexta-feira sem ainda ter obtido resposta das suas companhias aéreas.

O aeroporto de Lisboa sofre há várias semanas filas de viajantes devido à falta de meios, o que levou as autoridades a reforçarem os serviços de atendimento tanto no controlo de passaportes como no de malas, entre outras medidas.

O Governo de Portugal lançou no mês passado um plano de contingência para reforçar no verão a presença policial nos aeroportos, assim como novos meios tecnológicos e soluções operacionais para acelerar o processo.

O plano, "implementando num momento em que existe uma alta pressão sobre os sistemas aeroportuários na Europa e em diferentes partes do mundo", entra esta segunda-feira na "máxima afetação de meios para a qual foi desenhado", explicou hoje o Ministério da Administração Interna em comunicado.

A situação do aeroporto lisboeta também foi vista no fim de semana em outros como os de Paris ou Londres, assim como nos dos Estados Unidos, que registaram cancelamentos e atrasos de dezenas de voos por falta de capacidade das instalações ou por greve de trabalhadores.