EFELisboa

O PIB de Portugal caiu no primeiro trimestre deste ano 3,8% relativamente ao anterior devido ao impacto inicial da crise causada pela COVID-19, informou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O dado melhora numa décima o número provisório avançado pelo INE há duas semanas, quando apontou que a economia portuguesa tinha retrocedido 3,9% entre janeiro e março.

Em termos homólogos, o PIB português caiu 2,3% em comparação com o primeiro trimestre de 2019.

"A contração da atividade económica refletiu o impacto da pandemia da COVID-19 que se fez sentir de forma significativa no último mês do trimestre", referiu o INE.

Portugal decretou o estado de emergência em meados de março, com a paralisação de parte da atividade económica.

A caída do PIB foi provocada pela contribuição negativa da procura externa, que tinha sido positiva no primeiro trimestre, com uma descida mais intensa das exportações (7,1%) que das importações (3,1%).

Além disso, notou-se uma pioria da procura interna, com uma caída de 3% do consumo das famílias a respeito do trimestre anterior, enquanto o investimento aumentou um ligeiro 0,2%.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima que a economia portuguesa pode registar uma contração de 8% em 2020.

Portugal tem previsto começar na próxima segunda-feira a terceira fase do seu desconfinamento -que iniciou no passado dia 4- para continuar a reanimar progressivamente a sua economia, num momento em que tem cerca de 31.500 infetados e mais de 1.300 falecidos.