EFELisboa

A implementação da alta velocidade entre Lisboa e Porto e a criação de uma nova linha ferroviária entre Porto e Vigo são os dois principais investimentos previstos pelo Governo português para a próxima década, na qual o país espera modernizar-se com um investimento de 43.000 milhões de euros.

Como irá distribuí-los é a questão que o Governo do socialista António Costa começou a responder esta quinta-feira em Lisboa ao apresentar o chamado "Programa Nacional de Investimentos 2030".

O plano prevê um investimento total de 43.000 milhões de euros, "dos quais 50% serão para transportes e mobilidade (metade destes 50% serão para ligações ferroviárias), 30% para energia, 18% para o ambiente e 2% para irrigação", disse o Governo.

Dentro do transporte ferroviário, destaca-se a iniciativa para finalmente introduzir a alta velocidade em Portugal, ligando as suas duas principais cidades: Lisboa e Porto, uma viagem que passaria das atuais três horas a uma hora e 15 minutos, com comboios a atingir velocidades entre 220 e 250 quilómetros por hora.

Para o conseguir será necessário um investimento de 4.500 milhões de euros, o que a torna numa linha "cara", admitiu o Ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, mas como contrapartida vai provocar "uma mudança estrutural" na ligação entre estas e outras cidades, como Coimbra, que estará a apenas meia hora de distância do Porto.

A outra grande prioridade nesta seção é a nova linha Porto-Vigo, que passará das atuais duas horas e meia para apenas 55 minutos, a fim de promover o acesso a "uma região de Espanha com a qual Portugal tem fortes ligações", em palavras do ministro.

A primeira fase será o troço Braga-Vigo, que deverá demorar 35 minutos depois se estar concluída.

Estes são os dois maiores investimentos do plano até 2030, que irão representar um investimento de cerca de 4.000 milhões anuais.