EFELisboa

Com a crescente pressão hospitalar, atualmente a níveis não vistos há quatro meses, Portugal mantém restrições como o recolher obrigatório nos municípios com maior incidência no país, e só depois do 27º dia é que irá avaliar se deve aplicar mais regras para conter a variante delta.

O país, com dez milhões de habitantes e um saldo de 17.207 mortes e 930.685 contágios desde o começo da pandemia, está a atravessar a sua quarta vaga de coronavírus, que levou a um aumento progressivo de casos diários e hospitalizações nas últimas semanas.

Há agora 805 pessoas hospitalizadas -o número mais alto em quatro meses- 176 das quais nos cuidados intensivos, e as infeções diárias continuam acima das 3.000, com especialistas incapazes de confirmar se o pico desta vaga já foi atingido.

A responsável por este agravamento é a variante delta, com uma prevalência de 88% em todo o país mas de até 100% nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Algarve.

Face a esta situação, foram aplicadas medidas restritivas em 90 municípios com risco elevado ou muito elevado de contágio por passar uma incidência a 14 dias de 120 ou 240 casos por 100.000 habitantes, respetivamente, um grupo que inclui Lisboa, Porto e Faro.

Nestes locais há em vigor um recolher obrigatório das 23h00 às 5h00, e a partir das 19h00 de sexta-feira e durante todo o fim-de-semana é necessário apresentar um teste covid negativo ou certificado digital para entrar nos restaurantes, uma medida que levou os portugueses a preferir as esplanadas, que não o exigem.

Em paralelo, em todo o território nacional, independentemente da incidência de covid e durante todos os dias da semana, este requisito é indispensável para o registo em hotéis e alojamentos turísticos.

O Governo português, liderado pelo socialista António Costa, não planeia tomar quaisquer outras medidas até pelo menos dia 27, quando está programada uma nova reunião entre o Executivo e epidemiologistas e outros especialistas para analisar a evolução da pandemia.

Em função dos dados apresentados, poderão ou não chegar outras restrições depois dessa data.