EFELisboa

A subida dos contágios de coronavírus em Portugal, que têm estado em máximos históricos, ameaça aumentar significativamente a abstenção nas eleições antecipadas previstas para o próximo 30 de janeiro.

O presidente de Portugal, o conservador Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta quarta-feira que o Executivo do socialista António Costa não descarta inclusivamente suspender pontualmente o isolamento dos confinados por coronavírus para que possam ir votar.

"O primeiro-ministro anunciou que a ministra da Administração Interna pediu a opinião ao Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República sobre se o isolamento impede o exercício do direito ao voto ou se é possível exercer o direito ao voto em condições de segurança", esclareceu o presidente em declarações aos jornalistas.

Rebelo de Sousa descartou a necessidade de novas restrições para enfrentar a pandemia depois de participar numa reunião convocada esta quinta-feira entre políticos e especialistas para analisar a situação no país depois do período de Natal e enfrentar o regresso às aulas previsto para a próxima segunda-feira.

Durante a reunião, os especialistas desenharam possíveis cenários de expansão de ómicron a curto prazo.

Alguns, como o investigador Baltazar Nunes, projetam um nível de contágios que poderá chegar a entre 42.000 e 130.000 diários, embora os números dependam da evolução da vacina.

"Os cenários não são previsões, são projeções condicionadas a determinadas características", admitiu o especialista.

Portugal vive um período de "contenção" decretado pelo Governo para travar o avanço do vírus que inclui medidas como teletrabalho, restrições nos acessos a hotéis e restaurantes, encerramento do lazer noturno e limitação dos contactos sociais.

O país despediu-se do ano com máximos de até 30.800 contágios diários de covid-19, e para os primeiros dias de 2022 as autoridades preveem chegar aos 37.000 casos.

Portugal, com 10,3 milhões de habitantes, acumula 1.460.406 casos confirmados e 19.015 falecimentos desde o começo da pandemia.