EFELisboa

Portugal registou esta segunda-feira um novo recorde diário de falecidos em toda a pandemia, 167 mortes, num dia em que os hospitais, que se encontram no limite, assistiram a um elevado aumento no número de internados.

O último balanço da Direção-Geral da Saúde (DGS) mostra que o país encadeia o seu décimo-primeiro dia consecutivo acima dos 100 mortos -número que não se tinha alcançado nas duas primeiras vagas-, com um novo recorde diário que passa o máximo anterior, os 166 de sábado.

Além disso, foram notificados 6.702 contágios de covid-19, uma descida a respeito dos dias anteriores mas influenciado pelo efeito do fim de semana, quando são feitos e processados menos testes, pelo que segunda é habitualmente um dia com menos casos.

O número de hoje é mais elevado que o da última segunda-feira, quando houve 5.604 contágios.

Portugal acumula desde março 556.503 casos, cerca de 135.000 atualmente ativos, e 9.028 falecidos.

A situação nos hospitais, que se encontram no limite, voltou a piorar: há 5.165 pessoas internadas por coronavírus, mais 276 que domingo, 664 das quais estão nos cuidados intensivos (mais 17).

O número de hospitalizados não parou de crescer desde o início do ano, e em apenas 18 dias o número de pacientes internados aumentou mais de 80%.

A ministra da Saúde, Marta Temido, já avisou este domingo, ao visitar um hospital, que a saúde pública está "numa situação extrema, em sobre-esforço": "Há um limite e estamos quase a chegar a esse limite", defendeu.