EFELisboa

As autoridades de saúde de Portugal indicaram hoje que os dados de novos contágios diários permanecem estáveis, com mais 228 esta quarta feira, e marcaram como objetivo aumentar em cerca de 400 o número de camas disponíveis nos cuidados intensivos.

Segundo o último balanço da Direção Geral da Saúde (DGS), registaram-se esta quarta em Portugal 16 novos falecidos e contagiados pelo coronavírus.

No total, a pandemia deixa pelo momento 1.263 mortos e 29.660 infetados, enquanto a taxa de crescimento de contágios se mantém em 0,8%, o mesmo dado que no dia anterior.

Perante o controlo da situação, a ministra da Saúde, Marta Temido, destacou esta quarta a ambição de aumentar o número de camas disponíveis nos cuidados intensivos, atualmente longe da média europeia, segundo reconheceu numa intervenção no Parlamento.

"Portugal esteve sempre abaixo e bastante abaixo do que é a média de cuidados intensivos por 100.000 habitantes", disse a ministra.

Temido recordou que desde o ano 2010 o país teve 4,2 camas por 100.000 habitantes, embora o dado tenha "melhorado" e "já estava em 5,66 no final de dezembro de 2019". Em abril, quando o estado de emergência ainda estava em vigor em Portugal, o número estava em 7,39, acrescentou.

"O nosso objetivo é alcançar a média da União Europeia, ou seja, as 11,5 camas por 100.000 habitantes, e isso significa, em números muito redondos, que vamos precisar de quase 400 camas de cuidados intensivos", afirmou.