EFELisboa

O Governo português está a considerar pedir ajuda internacional e enviar pacientes covid para hospitais de outros países devido à saturação sofrida pelos seus próprios centros, à beira do colapso após semanas a testemunhar um crescimento constante de hospitalizados.

A revelação foi feita pela Ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, numa entrevista à emissora pública RTP na noite de segunda-feira, na qual afirmou que "o Governo português está a acionar todos os mecanismos dos quais dispõe, especialmente no quadro internacional, para garantir que dá a melhor assistência".

Perguntado pela entrevistadora se o Governo do socialista António Costa está a considerar "pedir ajuda internacional, ajuda europeia, para enviar pacientes" para outros países, a ministra respondeu que Portugal, estando na ponta mais ocidental da Europa, tem dificuldades geográficas, mas que a questão está a ser estudada.

"Estamos no extremo da península e, portanto, com maiores dificuldades geográficas, mas de qualquer forma, existem mecanismos e formas de obter auxílio e de ajustar formas de colaboração, e é claro que estamos a equacioná-las", disse a ministra.

No entanto, salientou que se deve ter em conta "que toda a situação europeia é preocupante".

TERCEIRA VAGA DEVASTADORA

Portugal está a ser duramente atingido pela terceira vaga de covid-19, devido, entre outras questões, à presença da variante britânica, que tem já uma prevalência de 20%.

A semana passada foi a pior do país desde o começo da pandemia, com um recorde diário de 275 mortes registadas este domingo, o último máximo conhecido, e rondou durante grande parte desses dias os 14.000 casos diários.

O crescimento da covid deixa os hospitais à beira do colapso, atualmente com 6.420 pacientes com covid-19, 767 dos quais em cuidados intensivos.

É uma situação "imaginável" num contexto de um "plano de catástrofe dos hospitais", advertiu a ministra, que ressaltou que o país tem camas disponíveis, mas "o que muito dificilmente conseguimos gerir são os recursos humanos".

Com cerca de 10 milhões de habitantes, Portugal já registou 10.721 mortos e 643.113 positivos de covid-19 desde o início da pandemia.