EFELisboa

Os planos de vacinação frente à covid-19 em Portugal, ainda em estudo, propõem que o grupo prioritário para imunizar sejam cidadãos de entre 50 e 75 anos que tenham alguma doença grave, assim como utentes e trabalhadores de lares de idosos e profissionais de saúde.

O grupo foi delimitado num documento preliminar criado pela comissão de especialistas nomeada pela Direção Geral da Saúde (DGS), apresentado há dias ao Conselho Nacional de Saúde Pública e divulgado esta sexta-feira pela imprensa local.

Segundo o documento, na primeira fase serão vacinadas 750.000 pessoas em Portugal -com 10 milhões de habitantes-, sobretudo pessoas de entre 50 e 75 anos com quadros clínicos considerados graves, como insuficiência cardíaca, respiratória ou renal, assim como trabalhadores de saúde e de lares de idosos, juntamente com utentes destes.

Segue-se na segunda fase membros das forças de segurança e proteção civil, assim como cidadãos de entre 50 e 75 anos com doenças crónicas como diabetes, cancro ou problemas pulmonares.

No total, este grupo compreenderá quase 3 milhões de pessoas.

O plano de vacinação definitivo de Portugal, onde falta definir onde seriam dadas à população, entre outras questões, deverá estar definido antes do Natal, data que irá contar com restrições também ainda por definir.