EFELisboa

As autoridades portuguesas alertaram os seus cidadãos sobre a "necessidade de tomar medidas preventivas" caso viajem à Andaluzia (sul de Espanha), devido ao surto de listeriose que afetou especialmente este território, onde há 132 pessoas infectadas e uma morte registada.

O aviso, emitido pela Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) de Portugal, aconselha quem visite esta região espanhola que tome "medidas preventivas", "principalmente a eliminação de produtos dessa marca (Magrudis, identificada como origem do surto) que possam ter na sua posse".

Além disso, destaca que os produtos da marca "La Mechá", da Magrudis, aparentemente os mais contaminados pelo surto, não foram comercializados pelos operadores do setor alimentar em Portugal, pelo que não há carne em mal estado no país.

Espanha informou à Comissão Europeia (CE) que a carne que causou o surto de listeriose só foi vendida no território nacional.

O Ministério da Saúde espanhol aconselhou hoje a quem tiver em sua casa alguma embalagem com outros produtos da marca "La Mechá" que se abstenham de o consumir e que, em caso de o terem feito e apresentem algum sintoma, visitem um médico.

Os produtos são os seguintes: o torresmo andaluz, lombo ao Jerez, lombo ao colorau e lombo caseiro ao colorau. Todos eles foram distribuídos na Andaluzia e Madrid, exceto o terceiro, o lombo ao colorau, apenas na comunidade andaluza.