EFELisboa

O número de pacientes internados com covid-19 em Portugal deve aumentar em mais de 80% até 4 de novembro, para mais de 3.000, segundo a ministra da Saúde do país, Marta Temido.

Numa conferência de imprensa em Lisboa, Temido fez esta segunda-feira uma avaliação da situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e as previsões para o nível de hospitalizações devido à covid-19 segundo os cálculos do Instituto Ricardo Jorge.

"Apesar dos portugueses estarem preparados para responder à pandemia, a situação é complexa e grave", advertiu Temido, que explicou que mais de 3.000 pessoas deverão ser internadas até 4 de novembro, com 2.634 internadas em unidades básicas e 444 nas unidades de cuidados intensivos (UCI).

Há atualmente um total de 1.672 internamentos, 240 em UCIs. O número total atual de internamentos é já o mais alto em toda a pandemia, e espera-se que as hospitalizações nos cuidados intensivos também ultrapassem o pico registado durante a primeira vaga (271 pacientes).

Temido reiterou que o SNS está melhor preparado em termos de meios "humanos, técnicos e conhecedores" e que os hospitais públicos têm uma capacidade de 19.778 leitos, dos quais mais de 17.000 podem ser potencialmente utilizados para pacientes com coronavírus. Se necessário, os pacientes podem ser transferidos para os da rede privada de saúde, de acordo com o Governo.

Portugal já teve 121.133 casos confirmados e 2.343 mortes desde o início da pandemia.