EFELisboa

Portugal vai realizar, em colaboração com Espanha, um acompanhamento do controlo fronteiriço e descarta o fecho da fronteira comum para travar uma nova expansão da pandemia, adiantou esta sexta-feira o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

"Não está neste momento colocada a opção de encerramento de fronteiras", algo já realizado por duas ocasiões, salientou o ministro relativamente ao fecho fronteiriço decidido por ambos países durante os piores momentos da pandemia.

"Há sempre uma estreita articulação com Espanha, e aqui o que faremos será estabelecer mecanismos de verificação de regras sanitárias na fronteira terrestre", disse o ministro.

Cabrita destacou que a fronteira "verdadeiramente" é a área, "a fronteira exterior da União Europeia".

"Nós, com Espanha, temos mecanismos coordenados, o que é, aliás, um exemplo na União Europeia, a forma sempre exemplar, em estreita articulação, como temos coordenado o acompanhamento de medidas", sublinhou.

Existem atualmente "mais de 80 pontos" de passagem autorizados na Raia, pelo que "a fronteira está aberta", concluiu.

As declarações de Cabrita respondem ao endurecimento das restrições anunciado na quinta-feira pelo Governo para conter a expansão da pandemia.