EFELisboa

Portugal fechou o ano passado com uma inflação de 2,7% em dezembro, embora a média de 2021 tenha ficado em 1,3%, segundo divulgou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A subida de dezembro responde, segundo o INE, aos aumentos nos preços de energia e alimentos.

A inflação cresceu mais durante a segunda metade de 2021: 0,6% entre janeiro e julho frente ao 1,9% registado no segundo semestre.

Segundo o INE, excluindo a evolução da energia e bens alimentares, a variação média em 2021 seria de 0,8%.

Os produtos energéticos, que tiveram uma evolução negativa em 2020 de 5%, registaram em 2021 uma subida de 7,3%.

Quanto aos preços dos produtos alimentares não transformados, o aumento durante 2021 foi de 0,6%, abaixo do 4% de 2020.

O INE também destaca que o preço dos bens aumentou 1,7% durante 2021, contrariando a tendência negativa dos dois anos anteriores, já que em 2020 foi de -0,5% e em 2019 de -0,3%.

Por sua vez, a taxa de variação do setor dos serviços em 2021 foi de 0,6%, frente ao 0,7% do ano anterior.