EFELisboa

O Governo português vai formalizar hoje a compra de cinco aviões KC-390, um inovador modelo especialmente projetado para operações de emergência militar construído no Brasil e que, até agora, não foi adquirido por outro país da Europa.

A previsão é que se entregue um avião por ano, sendo o primeiro deles esperado para 2023, segundo explicou hoje o ministro português da Defesa, João Gomes Cravinho.

"Estamos a adquirir aeronaves com uma capacidade muito superior aos (Hércules) c-130. É uma capacidade intercontinental. Tem capacidade de transporte de carga e de pessoal muito superior. É uma aeronave inovadora", comentou o ministro à emissora portuguesa TSF.

Os KC-390, que vão representar um desembolso de 827 milhões de euros para o Estado luso, substituirão os Hércules c-130, com mais de 40 anos de vida.

Segundo Gomes Cravinho, o negócio dos aviões, do grupo Embraer, inclui a previsão de "exportações portuguesas da ordem de 950 milhões de euros relacionadas com o KC-390 nos próximos 15 anos".

"Temos aqui acréscimos grandes para a nossa indústria, para a nossa economia, para a Proteção Civil e para situações de emergência", acrescentou.

O Ministério da Defesa, que aprovou a compra em julho passado, sublinhou que Portugal é o primeiro país europeu a adquirir este modelo de avião, que se produzem maioritariamente no Brasil com peças fabricados na cidade portuguesa de Évora.