EFELisboa

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, apoiado publicamente por vários políticos de Portugal, entre eles o primeiro-ministro António Costa, foi acusado esta sexta-feira pelo Ministério Público de ter beneficiado de suposta ajuda irregular de um juiz em troca de convites e um cargo na fundação do clube.

Vieira é um dos 17 acusados pelo Ministério Público como parte da Operação Lex, que investiga supostas irregularidades de juízes.

Entre eles está Rui Rangel, no centro deste processo, no qual é acusado de tráfico de influências, corrupção e branqueamento de capitais, tendo "vendido" a sua influência judicial em troca de dinheiro ou favores. Há também um acusado de nacionalidade espanhola, cuja identidade não foi divulgada pela Procuradoria.

De acordo com a acusação, o presidente do Benfica conseguiu convencer Rangel a interceder em seu nome de forma irregular, num processo no Tribunal de Contas de Sintra.

Convites para jogos, viagens e até um cargo na Fundação Benfica teriam sido alguns das supostas contrapartidas oferecidas por Vieira em troca da sua colaboração, aponta o Ministério Público, que acusa formalmente o presidente do clube de "receber vantagem indevida".

Também são acusados José Veiga, um antigo empresário do futebol, descrito como o "homem-forte do Benfica", e João Rodrigues, ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol.

A denúncia da Operação Lex, que veio a público em janeiro de 2018, foi divulgada no dia seguinte de Luís Vieira ter retirado o primeiro-ministro português da lista de apoiantes públicos à sua candidatura à reeleição do Benfica.

O apoio de António Costa levantou uma forte polémica em Portugal, justamente pelos processos abertos que investigam o dirigente desportivo.

Diante das críticas, Vieira retirou o nome de Costa e de outros funcionários públicos que o apoiavam, como o autarca de Lisboa, Fernando Medina, que já o tinha apoiado em eleições anteriores sem gerar polémica.

Presidente do Benfica desde 2003, Luís Filipe Vieira procura a reeleição nas eleições marcadas para outubro.