EFELisboa

Os reis de Espanha chegaram hoje a Lisboa para inaugurar, juntamente com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, um inovador centro de luta contra o cancro do pâncreas na Fundação Champalimaud.

Os reis chegaram à base aérea de Figo Maduro, em Lisboa, acompanhados pela ministra da Saúde espanhola, Carolina Darias.

Os reis espanhóis foram depois a Cascais para um almoço privado com o presidente português.

Mais tarde, juntamente com Rebelo de Sousa, vão encabeçar a inauguração do novo centro de cancro do pâncreas Botton-Champalimaud em Lisboa, parte de um ambicioso projeto de investigação.

A inauguração contará ainda com a presença do primeiro-ministro português, António Costa, e vários ministros do seu Gabinete.

O centro, dedicado à investigação e tratamento do cancro do pâncreas, é resultado de um projeto conjunto entre a Fundação Champalimaud e a família Botton, os fundadores da marca Danone.

As instalações contam com a tecnologia mais avançada, 200 investigadores e áreas de intervenção cirúrgica e cuidados intensivos.

É um centro único no mundo para a investigação do cancro do pâncreas e replica o modelo inovador iniciado pela Fundação Champalimaud em 2010, que aproxima ciência e pacientes.

Conhecido como a "epidemia silenciosa", o cancro do pâncreas é a quarta causa de morte por cancro na Europa e estima-se que se possa tornar nos próximos anos na segunda.

O Champalimaud Center for the Unknown tem um acordo com a Fundación Reina Sofía, presidida pela mãe de Felipe VI, para avançar na investigação de doenças neurodegenerativas como Parkinson e Alzheimer.

A de hoje é a segunda visita de Felipe VI a Lisboa em duas semanas, pois assistiu no passado dia 12 ao funeral do ex-presidente português Jorge Sampaio no Mosteiro dos Jerónimos.