EFELisboa

As urnas em Portugal continental e Madeira fecharam às 19h00 GMT para a primeira volta das eleições presidenciais do país, realizadas em pleno confinamento, continuando abertas mais uma hora nos Açores devido à diferença horária.

O dia esteve marcado pela terceira vaga da pandemia, que deixa este domingo um novo recorde com 275 mortos nas últimas 24 horas, e perante a qual foram realizadas medidas de segurança excecionais, como ampliar as mesas de voto para garantir a distância de segurança.

As longas filas provocadas por essa indispensável distância para votar foram as protagonistas deste dia, em que a abstenção está entre os 50% e 55%, segundo as primeiras projeções da RTP.

O claro favorito nestas eleições é o atual presidente, o conservador Marcelo Rebelo de Sousa, a quem as sondagens dão uma clara vitória na primeira volta com cerca de 60% dos votos.