EFEMoscovo

O japonês Norishige Kanai cresceu nove centímetros durante a sua estadia na Estação Espacial Internacional (EEI) devido à falta de gravidade, segundo escreveu hoje no Twitter o próprio astronauta.

"Hoje tenho uma notícia importante. Passei no exame médico com medição dos parâmetros físicos e acontece que a minha estatura aumentou em 9 centímetros. Assim cresci em três semanas", escreveu Kanai, que chegou à EEI a 19 de dezembro a bordo da nave pilotada russa Soyuz.

O astronauta japonês, de 41 anos, lembrou que não crescia desta forma desde a adolescência.

"Isto não acontecia desde os tempos do ensino secundário. Agora estou preocupado se vou caber no assento da nave espacial Soyuz", acrescentou, citado pela agência russa "TASS".

O cirurgião russo Vladimir Joroshev disse à "RIA Novosti" que a drástica mudança da estatura "é fácil de explicar".

"O tecido cartilaginoso modifica-se em condições de falta de peso. A nossa coluna espinhal é composta não só por vértebras, que são um tecido ósseo, mas também pelos discos intervertebrais, que são tecido cartilaginoso", explicou o cirurgião.

Esse tecido cartilaginoso é muito flexível e suscetível de sofrer mudanças, ao contrário dos ossos, que permanecem impassíveis em condições de imponderabilidade.

"Quando a carga sobre a coluna vertebral se reduz em dezenas de vezes em condições de falta de gravidade, o tecido cartilaginoso dos discos intervertebrais se alarga, o que leva ao aumento do comprimento do corpo", concluiu Joroshev.

Kanai, engenheiro a bordo na sua primeira missão espacial, chegou à EEI junto ao russo Anton Shkaplerov e ao americano Scott Tingle.

Os três astronautas, que vão permanecer no espaço cerca de meio ano, juntaram-se ao russo Alexandr Misurkin e aos americanos Mark Vande Hei e Joseph Acaba, que se encontram na EEI desde setembro.

A EEI, um projeto de mais de 150.000 milhões de dólares, no qual participam 16 nações, está atualmente integrada por 14 módulos permanentes e orbita a uma velocidade de mais de 27.000 quilómetros por hora a uma distância de 400 quilómetros da Terra.