EFELondres

O grafitero Banksy revelou que a sua obra "Girl With Balloon" (Menina com globo), leiloada no pasado dia 5 de outubro na casa de leilões Sotheby's e imediatamente autodestruída de forma parcial, deveria ter-se cortado em pedaços completamente mas o sistema falhou.

Num vídeo no seu site, o artista britânico de identidade desconhecida afirmou que a casa de leilões londrina não conhecia os seus planos, como muitos afirmaram depois que a notícia do sucedido se viralizara.

A obra, uma das criações mais populares de Banksy que mostra a uma menina que tenta alcançar um globo em forma de coração, se vendeu no início de mês por 1,04 milhões de libras (1,180 milhões de euros).

Mal que o martelo bateu o atril para confirmar a venda, uma trituradora de papel escondida dentro do marco victoriano que sustentava o lenço se ativou, reduzindo a pedacinhos a metade da pintura.

Uma ação que surpreendeu a todos os ali presentes e que o próprio autor explicou no dia seguinte na sua conta de Instagram com um vídeo que titulou com uma cita do pintor espanhol Pablo Picasso, "a necessidade de destruir é também uma necessidade criativa".

Um esclarecimento que agora ampliou noutra gravação liderada com a frase "Destrói o amor. O corte do diretor ", ao que segue uma compilação do ocorrido em Sotheby's o passado 5 de outubro.

Meios britânicos estimaram que o valor do lenço no mercado pôde dobrar-se graças à relevância que teve a sua destruição parcial.