EFEEdimburgo (Reino Unido)

Uma equipa internacional de cientistas anunciou hoje que vai analisar o ADN das águas do lago Ness para identificar as espécies que vivem nele e determinar a existência do famoso monstro, que segundo a lenda vive nesta paisagem natural das terras altas da Escócia.

Durante duas semanas, os especialistas, liderados pelo professor neozelandês Neil Gemmell, vão extrair o código genético que se encontra nas águas do lago, que consiste em pequenos fragmentos que as criaturas deixam ao nadar, tais como troços de pele e escamas.

Gemmell afirmou que não acredita "na ideia que exista um monstro", mas mostrou-se confiante em que a investigação dê informação sobre as teorias que tradicionalmente rodearam de mistério o lago Ness e que fizeram de "Nessie" -nome com que se conhece essa suposta criatura- um símbolo da cultura escocesa.

"Estou aberto à ideia que ainda há coisas por descobrir e que não se entendem completamente. Talvez haja uma explicação biológica para algumas das histórias", afirmou Gemmell.

As amostras recolhidas vão ser analisadas em laboratórios da Nova Zelândia, Austrália, Estados Unidos, Dinamarca e França, e vão ser comparadas com uma base de dados genéticos.

"Embora a perspetiva de pesquisar provas da existência do monstro do Lago Ness é o mais atrativo deste projeto, há uma extraordinária quantidade de novos conhecimentos que obteremos do trabalho sobre os organismos que habitam neste lago, a superfície de água doce maior do Reino Unido", destacou o cientista.