EFENova Iorque

O diretor artístico do Ballet da Cidade de Nova Iorque, Peter Martins, anunciou na segunda-feira a sua aposentadoria, após denúncias contra si de assédio sexual e abusos verbais e físicos.

Martins estava vinculado à instituição desde 1967, primeiro como dançarino e, após deixar os palcos, em 1983, assumiu diversas funções de direção até se tornar no diretor artístico em 1989.

Em carta reproduzida pelo jornal "The New York Times", Peter Martins disse que tinha informado ao conselho da instituição a sua imediata reforma e rejeitou contundentemente as acusações contra si.

"Neguei, e continuo a negar que tive esse tipo de conduta", disse Martins, de 71 anos, apostando que a investigação aberta após as denúncias irá provar a sua inocência.

Martins estava suspenso das suas funções desde o dia 9 de dezembro, quando surgiu a primeira denúncia anónima contra ele por assédio sexual.

O conselho de diretores do Ballet da Cidade de Nova Iorque disse que adotou essa decisão a partir de uma pedido de Martins para que sua permanência à frente da companhia "não fosse uma distração" sobre a investigação que tinha começado.

Após a primeira acusação, cinco bailarinos denunciaram diferentes abusos verbais e físicos supostamente cometidos por Martins, em alguns casos desde 1993.

O presidente do conselho, Charles W. Scharf, informou através de um comunicado que tinha aceitado a decisão de Martins, anunciando que espera que a investigação interna termine em breve.