EFELondres

A rainha Isabel II falou do perigo de usar a coroa britânica mais importante, pois as suas pedras preciosas tornam-na muito pesada, e do desconforto da carruagem que a transportou no dia da sua coroação em 1953.

A soberana, que nunca concede entrevistas, explicou detalhes da sua coroação na Abadia de Westminster, em Londres, para um programa sobre as jóias da coroa que vai ser emitido este domingo pela BBC, que divulgou hoje alguns extratos.

"Não podes olhar para baixo para ler o discurso, tens que o levantar. Se fizesses, o teu pescoço partia-se", contou a rainha sobre a coroa que usa na abertura formal do Parlamento britânico, onde deve ler o programa do Governo.

"Pelo que há desvantagens nas coroas, mas são coisas bastante importantes", disse Isabel II, que também contou detalhes do dia da sua coroação, 2 de junho de 1953, um ano após suceder ao seu pai, o rei Jorge VI.

A coroa, chamada Imperial de Estado, foi feita para a coroação do seu pai em 1937 e conta com 2.868 diamantes, 17 safiras, 11 esmeraldas e centenas de pérolas, bem como um grande rubi.

"Felizmente, o meu pai e eu temos a cabeça quase da mesma forma, mas uma vez que a pões, fica (fixa)", acrescentou Isabel II, de 91 anos, que no próximo 6 de fevereiro cumprirá 66 anos como chefe de Estado britânica.

A rainha também comentou o percurso que fez numa carruagem dourada desde o palácio de Buckingham até à Abadia de Westminster, que descreveu como "horrível" e "muito incómoda".

Ao lembrar a sua coroação, Isabel II disse: "Suponho que é realmente o começo da vida de um como soberana".

"É o tipo de desfile de cavalheirismo e uma antiquada forma de fazer as coisas (...) Vi uma coroação e fui destinatária da outra, algo que é bastante notável", afirma a rainha ao programa "A Coroação".