EFELondres

O integrante do grupo de comédia Monty Python, John Cleese, está decepcionado com o "brexit", com o Reino Unido e com os meios de comunicação, motivos pelos quais se vai mudar para uma ilha do Caribe em novembro, segundo adiantou num programa da BBC.

O humorista disse que já está "a fazer planos" para sair do Reino Unido em novembro, pois está "muito decepcionado" com "muitas coisas" do seu país.

A sua "luta particular" é com os jornais, e mencionou o seu envolvimento para conseguir uma reforma na imprensa depois das escutas ilegais do News of the World em 2011. Mas as propostas para regular os média legislativamente foram recusadas por "governos de direitas", explicou.

Essa foi a primeira razão que o levou a pensar em mudar-se para outro lugar, à qual depois se juntou "o nível de debate" que houve à volta do "brexit" -o referendo realizado em junho de 2016 sobre a saída do país da UE-.

Cleese qualificou o "brexit" de horrível e disse que o debate gerado foi "desesperante".

Na sua opinião houve "mentiras espantosas" por parte da direita sobre temas como o dinheiro que chegaria ao serviço nacional de saúde -NHS, a sua sigla em inglês- assim como as "frequentes táticas do medo" durante toda a campanha.

Inquirido sobre em que teriam votado no referendo do "brexit" os fãs dos Monty Python -o grupo humorista inglês que começou com uma série na BBC no final dos anos 60-, o ator respondeu que não sabia.

"Sei que Monty Python é mais popular na América do que aqui (...), porque a BBC não o programou nos últimos 17 anos para não ter de compará-lo com a comédia moderna", asseverou, ao mesmo tempo que deu a entender que os programas atualmente emitidos pela emissora britânica não se podem considerar de humor.

Sobre as diferenças entre o sentido do humor britânico e o americano, o intérprete opinou que no meio oeste e o sul dos EUA "os eleitores de George W. Bush -presidente entre 2001 e 2009-, basicamente "não têm sentido de ironia".

"Parece que diz que são um pouco mais estúpidos", matizou a apresentadora, ao que o inglês respondeu que "sim", embora precisou que "pouco imaginativos" seria uma descrição mais precisa.

E sobre a sua mudança ao Caribe, Cleese avançou que o seu desejo é assentar-se em Nieves, "uma das ilhas mais bonitas onde já estive".

"A relação entre as raças é magnífica, o povo é muito amável, o sistema de educação é o antigo britânico, as crianças e adultos estão muito bem educados", indicou.