EFELos Angeles (EUA)

O cineasta sul-africano Neill Blomkamp vai realizar "RoboCop Returns", uma nova produção cinematográfica centrada no "polícia do futuro", informou esta quarta-feira o site especializado Deadline.

Este filme do estúdio Metro-Goldwyn-Mayer irá contar com um guião de Ed Neumeier e Michael Miner, que escreveram anos atrás uma possível sequela de "RoboCop" (1987) -o filme original do realizador holandês Paul Verhoeven-, que, no entanto, não chegou a ser produzido.

Blomkamp é um realizador especialista em ficção científica, onde deixou a sua marca em longas-metragens como "District 9" (2009) e "Elysium" (2013).

A breve sinopse de "RoboCop Returns" detalha que, diante da anarquia que reina em Detroit, nos Estados Unidos, RoboCop regressa para lutar contra o crime e a corrupção na cidade.

"O filme original teve definitivamente um enorme efeito em mim quando era criança", afirmou Blomkamp, que assegurou que esse filme tem "um significado real debaixo da superfície" e que permanece como um clássico da ficção científica.

Além disso, ressaltou que, como "nos bons westerns, filmes de ficção ou dramas", na história de RoboCop a "conexão humana" exerce um papel muito importante.

O filme original de "RoboCop" arrecadou 53 milhões de dólares na bilheteira dos Estados Unidos em 1987 e foi nomeada a três Óscares, levando a estatueta de melhores efeitos sonoros.

O "polícia do futuro" ainda apareceu em mais três filmes: "RoboCop 2" (1990), "RoboCop 3" (1993) e "RoboCop", um "remake" da personagem realizado pelo brasileiro José Padilha em 2014.