EFEMoscovo

A Duma do Estado, o Parlamento russo, estuda esta terça-feira um projeto de lei para garantir a estabilidade do funcionamento do segmento russo de internet e a sua desconexão da rede mundial em caso de situações de crise ou ataques cibernéticos contra o país.

A iniciativa, que conta com o apoio do Governo, gerou fortes reservas nas operadoras de internet, já que a instalação dos equipamentos necessários para a análise de tráfego requer grandes investimentos, que para grandes companhias podem significar dezenas de milhões de dólares.

Segundo os autores, se o projeto for aprovado existe a possibilidade de "minimizar o fluxo ao exterior de dados trocados entre os utilizadores russos".

Além disso, em caso de ameaça, as operadoras seriam obrigadas a garantir a "gestão centralizada do tráfego", ou seja, o seu controlo pelo Estado.

A iniciativa prevê a criação de uma infraestrutura que garanta o funcionamento do segmento russo de internet caso as operadoras russas não se possam ligar ao servidor raiz estrangeiro.

Segundo o senador Andrei Klishas, um dos autores de projeto de lei, por enquanto não é possível precisar uma lista das ameaças que poderia levar a Rússia a desligar-se da rede mundial de internet.

"A relação destas ameaças pode ser conformada através de um teste que será feito pelos órgãos do Estado, operadoras de comunicações e pelos proprietários das redes tecnológicas", disse Klishas numa entrevista à agência oficial russa RIA Novosti.

O presidente da União de Empresários e Industriais da Rússia (UEIR), Aleksandr Shoshin, advertiu que a colocação em prática das medidas incluídas no projeto poderá levar ao colapso das redes de comunicações do país.

Além disso, a UEIR destacou que a estabilidade do funcionamento de internet no país em caso de desconexão com a rede mundial já está garantida, pois a Rússia conta com 11 servidores raiz que são suficientes para cumprir com essa tarefa.