EFELisboa

Bryan Ruiz, o capitão da Costa Rica, deixou de ser o vilão do Sporting, que o teve afastado da equipa até meados do passado mês de novembro, para se tornar num dos heróis da Taça da Liga, galardão que o clube lisboeta conquistou este sábado após derrotar o Vitória de Setúbal.

Ruiz é uma das referências do futebol costa-riquenho e até meados de novembro a sua situação encheu várias páginas na imprensa de Portugal e foi um tema de debate na Costa Rica.

O presidente da Federação costa-riquenha de Futebol (Fedefutbol), Rodolfo Villalobos, chegou a dizer em setembro que tinham "uma preocupação muito grande", já que o jogador no Sporting apenas treinava.

Apesar da sua ausência, Ruiz continuou a ser capitão da Costa Rica, seleção que conseguiu em outubro a sua quinta classificação para um Mundial, neste caso para o que será disputado este ano na Rússia.

O empenho do jogador, que mostrou ao técnico sportinguista Jorge Jesus o seu desejo de conquistar títulos com o clube português, foi um ponto de inflexão que possibilitou que Ruiz voltasse a integrar-se na primeira equipa a 13 de novembro.

Desde então, o extremo esquerdo participou em sete de oito jogos possíveis para o campeonato.

Ruiz foi decisivo na Taça da Liga, já que na meia-final contra o Porto marcou o último penálti, e sábado foi titular na final disputada em Braga, jogo que o Sporting também ganhou nos penáltis após empate no tempo regulamentar.

Desta maneira, a sorte dos penáltis voltou a estar do lado do costa-riquenho.

No Mundial de 2014, Bryan Ruiz, que já vestia a braçadeira de capitão da sua seleção, foi um dos que marcou nos penáltis nos oitavos de final frente à Grécia, o que possibilitou que, pela primeira vez, a Costa Rica se classificasse para os quartos na história desta competição.

No Brasil, a Costa Rica derrotou a Itália por 1 a 0 graças a uma cabeçada decisiva do jogador do Sporting, e o empate a um contra a Grécia também foi obra do capitão.

Ruiz começou a sua carreira nas categorias jovens do Alajuelense, e deu o salto à Europa em 2006 ao ser contratado pelo belga La Gantoise, onde esteve três temporadas, passando depois, em 2009, para o holandês Twente.

Foi aqui que viveu os seus melhores momentos, já que conseguiu 24 golos na temporada 2009-2010, onde a sua equipa conseguiu o campeonato, à frente de laureadas equipas como o Ajax ou o PSV.

Bryan Ruiz foi nesse ano o melhor marcador da sua equipa e o segundo da Holanda, apenas atrás do jogador uruguaio do Barcelona Luis Suárez, então no Ajax.

Os seus excelentes registos valeram-lhe uma transferência para o inglês Fulham, onde teve duas boas temporadas, embora a princípios de 2014 tenha acabado por sair por empréstimo ao PSV, regressando assim à liga holandesa.

O Sporting acabou por o contratar no verão de 2015, e em Lisboa protagonizou duas boas épocas (2015-2016/2016-2017), tornando-se numa das referências do ataque dos "leões".

Carlos García