EFELisboa

Os jogadores internacionais mexicanos Miguel Layún, do Porto, e Raúl Jiménez, do Benfica, veem no atual mercado de inverno uma oportunidade para serem emprestados a algum clube em que possam jogar mais minutos e assegurar assim a sua presença na seleção mexicana para o Mundial da Rússia.

Layún, lateral esquerdo ambidextro que tem contrato com o Porto até 2020, não tem minutos nos "dragões", tendo sido titular apenas duas vezes esta época na liga, disputando um total de 212 minutos nessa competição, onde o Porto é líder.

No início do mercado de inverno, os rumores apontavam para que o lateral direito mexicano, 60 vezes internacional, podia ser cedido ao Alavés, que teria a autorização do técnico, o espanhol "Pitu" Abelardo.

No entanto, o acordo não se concretizou e Miguel Layún poderia negociar com outras equipas da liga espanhola, como o Celta de Vigo, segundo publicaram na última semana alguns jornais lusos.

Nas últimas convocatórias da seleção do México, em jogos de preparação para o Mundial da Rússia, Miguel Layún contou com a confiança do técnico Juan Carlos Osorio, ainda que saiba que a falta de minutos pode deixá-lo fora da convocatória definitiva.

Layún leva ano e meio sem muita continuidade, já que desde o primeiro terço da temporada passada não é titular e na maioria das ocasiões ou cai da convocatória ou fica no banco sem jogar.

De fato, nos dois últimos jogos da Liga, Miguel Layún entrou em campo quando faltavam apenas dez minutos para o apito final.

Aos 29 anos, Layún sabe que a Rússia pode ser o seu último Mundial, pelo que para assegurar a sua presença terá que jogar por empréstimo, já que não conseguiu a confiança do português Sérgio Conceição.

Em situação similar encontra-se o avançado mexicano Raúl Jiménez, 60 vezes internacional que, até ao momento, não tem a confiança do técnico do Benfica Rui Vitória.

Jiménez só foi titular por uma ocasião durante a Liga portuguesa, devido, sobretudo, ao excelente estado de forma do veterano avançado brasileiro Jonas, que já anotou duas dezenas de golos nesta temporada no campeonato doméstico.

Raúl Jiménez, de 26 anos, afirmou publicamente durante os últimos dias que vê com bons olhos uma possível cedência até ao final de temporada a outra equipa.

O jogador não descarta inclusivamente voltar ao seu país natal para jogar no clube onde se formou, o América.

Trata-se da contratação mais cara da história do Benfica, que o contratou por 22 milhões de euros ao Atlético de Madrid, mas nas últimas três temporadas nunca assegurou a titularidade.

Pelo contrário, na seleção do México, tal como Layún, conta com a confiança de Osorio e até marcou o golo da vitória contra a Polónia no último jogo do conjunto mexicano.

Jiménez, que quer fazer parte da convocatória mexicana, junto a estrelas como Vela ou "Chicharito" Hernández, pretende aproveitar a oportunidade de estar no Mundial da Rússia e tem claro que o seu futuro imediato passa por uma cedência até ao mês de junho.

Após o Mundial quer continuar na Europa com o Benfica, clube com o qual tem contrato até ao verão de 2020.

Carlos García