EFELisboa

O Porto líder com o melhor ataque e defesa da competição bate-se com o melhor Sporting dos últimos 27 anos, enquanto o Benfica recupera de um inicio recheado de altos e baixos. É este o cenário no fim do ano na liga portuguesa.

A estreia do técnico português Sérgio Conceição no Porto não podia estar a correr melhor, ocupando o primeiro lugar da liga, sem derrotas, com o melhor registo de golos (39 marcados e 6 sofridos) e ainda em prova na "Champions", Taça de Portugal e Taça de Liga.

O registo dos "dragões" à décima-quinta jornada é apenas superado por aquele conseguido por André Villas-Boas em 2010/11, que chegou a esta fase com 13 vitórias e dois empates, terminando a época como campeão sem qualquer derrota no seu único ano ao serviço do Porto.

Crucial para as boas exibições da equipa tem sido o contributo da frente de ataque constituída pelo camaronês Vincent Aboubakar (21 golos), o maliano Moussa Marega (12 golos) e pelo argelino Yacine Brahimi (6 golos), com uma solidez incrível.

O Porto parece ter superado bem a saída do avançado internacional português André Silva para os italianos do AC Milan, conseguindo também manter uma defesa forte mesmo após o afastamento da titularidade do espanhol Iker Casillas por Conceição em outubro deste ano.

Em janeiro, com a abertura do mercado de inverno, há a possibilidade de Casillas procurar novo clube para recuperar o estatuto de titular, enquanto o Porto tentará também procurar reforços para encarar as quatro competições que se encontra a disputar.

O Sporting, por sua vez, está também a realizar um campeonato notável, sem derrotas e com o melhor registo à décima-quinta jornada desde a temporada de 1990/91, quando, treinado pelo brasileiro Marinho Peres, somava 13 vitórias, 1 empate e 1 derrota.

A meio da temporada, esta é a melhor versão dos "leões" do técnico português Jorge Jesus, registando derrotas apenas na Liga dos Campeões, frente aos espanhóis do Barcelona e dos italianos da Juventus, que ditaram a descida para a Liga Europa.

Destacam-se neste percurso o holandês Bas Dost e o português Gélson Martins, destaques também na época passada, bem como os portugueses Bruno Fernandes e Fábio Coentrão e o francês Jérémy Mathieu, recém-chegados à equipa.

Mathieu, ex-Barcelona, e Coentrão, emprestado pelo Real Madrid, têm sido essenciais para o bom registo defensivo do clube, enquanto Bruno Fernandes foi importante para colmatar a saída do português Adrien Silva, ex-capitão da equipa, no início da época.

Relativamente ao mercado em janeiro, é provável que Jesus procure reforçar o plantel, com jogadores como o português Rúben Ribeiro, do Rio Ave, a serem constantemente associados ao clube, sendo também quase certa a saída de jogadores como o argentino Alan Ruiz.

O Benfica tem tido a época mais irregular dos três candidatos ao título, contrastando a sua proximidade aos rivais na liga, onde ocupa a terceira posição, a 3 pontos dos rivais, com uma péssima imagem deixada na "Champions", onde perdeu os seis jogos que disputou.

Se na liga este não é o pior registo do técnico português Rui Vitória à décima-quinta jornada, a eliminação da Taça de Portugal às mãos do Rio Ave e as seis derrotas na Liga dos Campeões marcaram pela negativa.

Os "encarnados" focam-se agora no campeonato, onde conquistaram os últimos quatro títulos, disputando também a Taça da Liga, enquanto se preparam para começar o ano com um dos clássicos de Portugal, o dérbi frente ao Sporting.

O brasileiro Jonas mantém-se como o principal goleador da equipa, sendo o melhor marcador da liga com 18 golos, mas destacam-se também na equipa nomes chegados nesta época, como o guarda-redes belga Mile Svilar, o croata Filip Krovinovic e o suíço Haris Seferovic.

Espera-se que Rui Vitória reforce a equipa no mercado de inverno para mudar a atitude e conseguir o título, procurando também colmatar as recentes saídas do guarda-redes brasileiro Júlio César e as prováveis saídas de Gabriel Barbosa, Eliseu e Rafa Silva.

Sandro Cantante