EFELisboa

O avançado brasileiro Jonas, que há um ano esteve a ponto de se retirar do futebol por causa de uma bactéria, é, atualmente, o atacante com melhor média marcadora por jogo na Europa, já que conseguiu 18 golos nos quinze jogos da Liga que disputou com o Benfica.

O brasileiro, que deixou a sua marca de goleador com o Valência entre 2011 e 2014, tornou-se numa das principais armas de um Benfica que começa a ganhar ímpeto após um mau início de temporada e um mal papel na Liga dos Campeões, onde foi eliminado na fase de grupos após perder todos os jogos.

Jonas Gonçalves Oliveira (Brasil, 1984) tem os mesmos golos que Cavani no Paris Saint Germain, embora o avançado uruguaio, com uma média de 1,12 golos, disputou 16 dos 17 encontros da Liga francesa, já que perdeu um jogo por estar convocado com a seleção do seu país.

Os números do avançado dos encarnados também superam os do capitão do Inter de Milão, o argentino Mauro Icardi, que tem uma média de um golo por jogo. Leva 17 golos e disputou as 17 jornadas da Série A italiana.

Atrás da eficácia artilheira de Jonas estão avançados como Messi (14 golos em 16 jogos) ou Lewandowski (15 golos em 17 encontros), que também lutam pela prezada Bota de Ouro.

A história de Jonas passa pela sua chegada à Europa pela mão do Valência na temporada 2011/2012, clube que depositou no brasileiro toda a sua confiança anotadora.

No conjunto "che" não conseguiu explodir, apesar de ter marcado 33 golos em três temporadas, uma marca discreta que ficava abaixo do estabelecido para um avançado titular da equipa valenciana, que tem sempre entre os seus objetivos os postos europeus.

No entanto, a nova oportunidade para conseguir um espaço entre os melhores marcadores do mundo chegaria na época 2014/2015, após ser contratado pelo Benfica.

No primeiro ano ao serviço dos encarnados, Jonas consolidou-se como referência atacante com 20 golos no campeonato, e a sua melhor versão veio na temporada 2015/2016, onde marcou 32 golos (foi o melhor marcador do campeonato português) e fez 14 assistências.

No entanto, os problemas viriam no zénite da sua carreira, quando ao início da última época, a 11 de agosto de 2016, foi operado a uma fratura do astrágalo da perna direita.

Após a sua passagem pelo hospital, uma bactéria apoderou-se do tornozelo direito de Jonas, pelo que meia época foi passada fora dos relvados.

Em várias entrevistas, o próprio jogador assegurou que temeu pela sua carreira desportiva, já que o seu regresso aos campos não tinha data marcada.

Rui Vitória continuou a apostar por ele e a princípios de 2017 voltou-lhe a dar minutos, conseguindo terminar a temporada 2016/2017 com 13 golos.

No entanto, a melhor versão de Jonas ainda estava por chegar, já que a meio do campeonado, é o melhor marcador da competição e, além disso, deu 6 assistências de golo.

O seu contrato termina em 2019 e em várias ocasiões já explicou que as suas intenções passam por continuar no Benfica e, pelo menos, manter-se no ativo até aos 35 anos.

Também tem previsto regressar ao seu país, embora tenha deixado claro que só voltaria a jogar no Brasil no Guarani, onde começou a sua carreira.

Carlos García