EFELisboa

O argentino Eduardo 'Toto' Salvio considerou, numa entrevista com a EFE em Lisboa, que o selecionador Lionel Scaloni está "muito capacitado" para o posto e opinou, sobre a sua continuidade além da Copa América, que todos os jogadores vão tentar ajudá-lo.

Numa entrevista com a EFE antes do lançamento do seu projeto empresarial, uma marca de comandos de consola personalizáveis, o jogador analisa a atualidade da seleção da Argentina, o seu momento no Benfica e os seus planos de futuro.

- Seleção da Argentina

"O Mundial não é fácil para ninguém. Não o foi para a Argentina como para outras seleções (...) Nem todos têm a possibilidade de jogar um Mundial. É algo que me vai ficar para toda a vida".

"É um etapa de mudanças, as pessoas sabem que há muitíssimas possibilidades para todos. Já não são as mesmas caras de antes. Todos querem lá voltar, mas para os jogadores que não tiveram a sua oportunidade antes com outros selecionadores talvez agora as portas possam-se abrir".

- Continuidade de Scaloni

"Todos lhe temos muitíssimo respeito. Sabemos as condições que tem. Está muito capacitado para estar nesse posto. Da mesma forma que ele vai tentar ajudar-nos a todos, vamos todos (os jogadores) tentar ajudá-lo".

- Regresso de Leo Messi em março?

"A verdade é que não sei, mas é o desejo de qualquer argentino. Ter o melhor jogador do mundo na sua equipa é o melhor que pode acontecer".

"Ele deu muitíssimo à Argentina".

- Benfica

"Nós estamos muito contentes em como as coisas estão a correr ultimamente e pelos resultados".

"Todos sabem que o nosso grande objetivo é a Liga".

"Tive possibilidades de sair, mas realmente o que queria era estar aqui. O sentimento que tenho pelo Benfica é muito grande (...) Realmente acho que não vou ser feliz noutro lugar como o sou aqui".

- Atlético de Madrid

"Para mim, hoje em dia sou melhor jogador do que quando cheguei ao Atlético de Madrid. Mas estou no lugar onde quero estar e não penso em que cheguei muito jovem ao Atlético ou Espanha, porque cheguei no momento que queria chegar e cumprindo um sonho. Não me arrependo de ter chegado tão jovem".

"Acompanho-o muito, porque tenho muito boa relação praticamente com toda a equipa. Tenho muitíssimo carinho pelas pessoas e tento não perder nenhum jogo. Todos conhecem o que é o Atlético como equipa, o que é uma equipa do Cholo, e sabem que vai dar luta até ao fim. Tenho muitíssima fé (na 'Champions')".

- Retirar-se na Argentina

"Isso é uma das possibilidades, mas hoje em dia a minha cabeça está aqui e posso dizer que o que quero é ficar muitos mais anos".

- Projeto empresarial

"Hoje em dia posso dizer que a minha prioridade é o futebol, porque todos sabem que é o que amo desde pequeno, mas sim, depois do futebol isto é algo que eu gostaria de continuar a fazer. É um projeto que levamos muito a sério. Eu gostaria de dedicar-lhe muitíssimo mais tempo do que lhe dedico hoje por causa do futebol".

"Adorava oferecer um comando ao Leo (Messi), para mim seria uma honra, como a outros grandes jogadores que temos na Argentina".

Pedro Talet Cara e Paula Fernández