EFELisboa

O Sporting, que vai enfrentar o Villarreal nos 16 avos de final da Liga Europa, é uma equipa reinventada em apenas um mês, com um estilo de jogo goleador que lembra o de Cruyff.

Os "leões" vivem um momento particularmente doce desde que mudaram de treinador em meados de novembro, quando o holandês Marcel Keizer se sentou no seu banco e trouxe um estilo que lembra o do seu compatriota Johan Cruyff, com a posse e a pressão alta como principais chaves.

Os resultados são eloquentes: os verde e brancos marcaram 25 golos nos seis encontros disputados desde a chegada de Keizer, o que representa uma média de 4,2 por encontro.

São números que demonstram a reinvenção do conjunto, atualmente em segundo na Liga portuguesa, onde mantém grandes opções de conquistar o título após passar por uma crise com o seu anterior treinador, o português José Peseiro.

Peseiro foi contratado em julho deste ano por Sousa Cintra, que naquele momento ocupava a presidência do Sporting de forma interina, depois do antigo presidente, Bruno de Carvalho, ter contratado o sérvio Sinisa Mihajlovic, que apenas durou nove dias no cargo.

Os seus resultados, apesar da expectativa, foram decepcionantes, com 24 golos anotados em 14 encontros e uma cadeia de derrotas que a direção considerou inadmissíveis.

Keizer chegou para substitui-lo em meados de novembro com o objetivo não só de virar de página como fazer com que os adeptos recuperassem a esperança depois de duas temporadas muito complicadas nas quais as suas opções a títulos foram inexistentes.

Com um sistema "4-3-3", Keizer destaca-se pelos seus intensos treinos, onde a recuperação rápida da bola é essencial.

Além disso, insistiu em conseguir um equilíbrio dentro do plantel, para explorar o seu talento e para que os jogadores mais habilidosos possam exibir um futebol mais inesperado.

Conta para isso com a potência do holandês Bas Dost, principal goleador da equipa e uma das máxima estrelas de Portugal, que lidera um ataque que se completa com o internacional luso Nani, que jogou no Valência, e o colombiano Fredy Montero.

Destacam-se também o médio português Bruno Fernandes e o argentino Rodrigo Battaglia e o defesa francês Mathieu, ex-Barcelona e Valência.

Com eles obteve bons resultados nos jogos de classificação da Liga Europa, como a vitória por 1-6 contra o Karabakh, do Azerbaijão, e o 3-0 colhido frente ao Vorskla da Ucrânia.

No entanto, demonstrou alguns problemas na defesa, como demonstra o fato de que, desde a chegada de Keizer, só tenham conseguido manter a baliza a zero no jogo contra o Vorskla.